Terceiro texto do diário ou como explicar que cozinhar é hobby.

Em uma entrevista de emprego recente, uma pessoa me perguntou sobre meus hobbies, eu falei que cozinho, que gosto muito de fermentados. Percebi que a pessoa queria falar também, achei que viria um comentário como: “que legal”, ou “eu cozinho também”, mas para minha surpresa veio: “Na pandemia todo mundo precisa cozinhar para comer”.

Um pouco em choque respondi: “sim, é verdade”. E mais uma vez, diminui meu tempo, minha dedicação, meus estudos e a minha verdade.

Cozinha é coisa séria pra mim, quem convive comigo, ou já conversou sobre assuntos diversos sabe disso. Além de pesquisar novos pratos, pesquiso técnicas, origem, história e as adaptações que os cozinheiros fazem. Minhas conversas com amigas e familiares são muito baseadas no universo da cozinha (materiais, comida, ingredientes, reaproveitamento, composição vitamínica e proteica, preços/supermercados/empórios, sabores, conceitos, cozinheiros, artigos, etc).

Eu escrevo esse texto como forma de afirmação e lembrete sobre o que eu gosto, sobre o que eu sou, sobre essa ser sim minha verdade. Cozinhar não é a minha profissão, eu não quero empreender, eu não quero fazer para ser lucrativo. Eu faço por puro prazer.

O gatilho para a escrita desse texto foi o post de uma amiga falando sobre não fazer coisas só por fazer: “Quando alguma coisa que eu tenha começado a fazer não aparenta ter ‘um retorno’, um sentimento de improdutividade toma conta de mim… parece que tudo que eu procure fazer tem que ser produtivo”.

Somou com o inicio da leitura do “Esse livro não vai te deixar rico”, do Startup da Real e pra fechar a tríade um post também do Startup da Real:

Esse sentimento de culpa por não estar construindo ou juntando vida profissional e pessoal, já me consumiu inúmeras vezes. Óbvio que nenhum extremo é saudável, e exatamente por isso quero manter no meu radar o pensamento: “Você não está fazendo nada de errado ao dividir meu tempo e usa-lo para ser feliz”.

Ser improdutiva é uma sensação que as vezes bate forte, principalmente por não estar trabalhando há 6 meses e estar completamente dependente do meu parceiro. Porém, sou amplamente incentivada por ele e pelos meus, a ter meus momentos de prazer, reflexão, onde tudo que eu preciso fazer, é seguir o que sei, usando técnica ou instinto, ou um misto dos dois. A cozinha é o meu ambiente de hobby, prazer e não apenas para produzir o que comer.

Gosto de escrever umas paradas e umas receitas as vezes.

Gosto de escrever umas paradas e umas receitas as vezes.